domingo, 9 de setembro de 2012

Resenha do filme Decameron - Idade Média


Introdução

O Decameron/Il Decameron
Realizado por Pier Paolo Pasolini
França/Itália/RFA, 1970 Cor - 111 min.
Com: Franco Citti, Ninetto Davoli, Jovan Jovanovich, Vincenzo Amato, Angela Luce, Giuseppe Zigaina, Gabriella Frankel, Vincenzo Crito, Pier Paolo Pasolini, Giorgio Iovine, Salvatore Bilardo
                                              

Este filme de origem italiana mostra de forma satírica o dia-a-dia das pessoas na Idade Média. Como se sabe a Idade média foi um período polemico devido ser considerado por alguns historiadores como a “Idade das trevas”. Mas pelo menos para o diretor Píer Paolo Pasolini esta era foi bastante ativa e com muita riqueza humana, pois nessa época as pessoas se interagiam com mais freqüência, já que para sobreviver elas dependiam mais uma das outras

Primeira história
Esta história tem inicio onde mostra um homem assassinando outro e jogando este no precipício.
Já num segundo plano mostra um rico cavalheiro em uma feira, onde uma mulher e sua família de vigaristas engendra um plano para roubar-lhe.
Ela se aproxima e conta uma história triste dizendo ser sua irmã e o convida para jantar. Mas a comida deste jantar está “preparada” e o moço passa mal e corre para o banheiro, mas a tampa da fossa foi serrada e ele cai na fossa, enquanto a moça rouba todo seu dinheiro.
Quando ele consegue escapar da fossa todo sujo e cheirando mal, fica preso pelo lado de fora da casa. Seminu e com aspecto desagradável, sendo expulso pelos moradores da vila, se esconde em uma caverna e é descoberto por dois ladrões que o convidam para roubar um arcebispo que acabara de morrer e colocado em um mausoléu. Abrem a tampa do tumulo e mandam o pobre coitado entrar para roubar o morto. Assim que ele entrega tudo do religioso aos ladrões, eles fecham a tampa  e deixam o idiota preso com o defunto e vão embora. Mas logo em seguida aparecem outros bandidos para roubar o mesmo tumulo. Quando colocam o braço para entrar no esquife, o moço que estava preso dá uma mordida na mão do marginal que dá um tremendo grito e os ladrões fogem assustados. Feliz da vida, pois achara o anel valioso do arcebispo, ele vende e recupera o que havia perdido.

Segunda História
Após ouvir história de um convento onde as freiras eram sexualmente ativas, um camponês fingindo ser mudo e retardado se dirige ao local para se empregar.
Logo no inicio que consegue o trabalho, duas freirinhas o seduzem e tem relações sexuais com ele. Mas ele e as freirinhas são vistos por outras que decidem contar a Madre Superiora, mas desistem pensando também tirar proveito sexual do acontecido. Durante algum tempo ele é obrigado a satisfazer a todas.
Mas um dia a Madre o surpreende dormindo seminu e tenta fazer sexo com ele, mas esgotado ele não consegue e revoltado revela a verdade reclamando de sua situação de ser um único homem no meio de muitas mulheres sexualmente ativas.
A Madre tem uma idéia e declara que houve um milagre porque o jardineiro voltara a falar. Então o jardineiro e as freiras viveram felizes para sempre.

Terceira História
Tudo começa com uma cena de adultério onde o marido chega mais cedo em casa devido ser feriado. É dia de San Galeone (seria o protetor dos maridos traídos?) diz a esposa enquanto o amante se esconde.
O marido chega acompanhado e ele explica que vendeu a botija vazia de azeite que tinha em casa por 5 liras e que o comprador ia levar.
A mulher tem uma idéia e diz que a botija já tinha sido vendida para um homem por sete e pediu para o marido limpá-lo, pois o comprador estava aguardando para levá-lo. Enquanto o marido vai limpar a botija, sua esposa e o amante continuam o que haviam começado, isto é, voltam a fazer sexo.

Quarta História
Um pai pede que seu filho se ausente por um tempo, devido seus atos de banditismo e libidinoso (era homossexual).Manda para ele para uma cidade distante com a missão de cobrar seus devedores.
Chegando lá se hospeda na casa de um agiota, mas no jantar é acometido de uma doença grave.
Sabendo que ia morrer e seria conduzido para o inferno, pede que chamem um padre para se confessar. Na hora de confessar conta inverdades e distorce fatos de sua vida, sendo perdoado pelo padre.
Morre e acaba virando “santo” pela igreja local.

Quinta história
Dois jovens enamorados impedidos por seus pais de namorarem por serem muitos jovens, acham um meio de se encontrarem na varanda da casa dela.
Alegando estar com muito calor, a jovem pede para dormir na sacada da casa e passa a noite com seu noivo.
Pela manhã são surpreendidos pelos pais da noiva que sabendo que a família do rapaz tem posses resolvem “fingir de morto” ao ocorrido e apenas propõem como reparação pela honra ofendida, o casamento dos dois.

Sexta história
Uma moça se relaciona sexualmente com seu namorado escondido dos seus três irmãos. Mas até que um deles descobre e avisa os outros e eles planejam matar o namorado da irmã.
Convidam-no para um passeio e o matam e o enterram no local do homicídio.
Quando a irmã pergunta do namorado, os irmãos mentem que ele viajou.
Mas seu amado aparece em sonho e revela que foi assassinado por seus irmãos.
Pedindo permissão para os irmãos, ela vai até o local onde está o corpo e retira a cabeça do corpo do namorado e leva para casa e enterra em um vaso para ficar próxima de quem ama.

Sétima história
Um camponês que tem um amor demasiado pelo seu cavalo em viagem a trabalho convida um padre para passar a noite em sua casa.
Mas sua casa é muito humilde e só cabem duas pessoas, então fala ao padre que sua esposa pode ficar na casa da vizinha solteira.
Mas ao chegar a casa sua esposa diz que a amiga casou e que não pode mais ficar na casa dela. O padre diz que não tem problema, pois ele dormirá com a mula no celeiro e contando uma piada, acrescenta que transformará a mula em uma linda mulher e pela manhã em mula novamente, pois ele tem poderes mágicos.
A mulher, muito ingênua, comenta com o marido e pede para ser transformada em égua, pois assim poderão ganhar em dobro e depois ela poderia ser transformada em mulher novamente.
Concordando o marido, juntos vão procurar o padre e relatam sua idéia e pedem que o padre faça o feitiço nela.
O padre muito esperto concorda, mas avisa que a parte mais difícil é a colocação do rabo e pede ao marido que na hora do feitiço, aconteça o que acontecer ele não pode intervir.
Então o padre pede para a mulher ficar totalmente nua e se posicionar de quatro. Tocando o corpo da mulher ele vai dizendo:
- Que esta cabeça se torne de uma égua. Que estas tetas se tornem de uma égua. Que estas ancas se tornem de uma égua. E levantando a batina e apontado para o próprio pênis, diz: - Que isto se torne o rabo de uma égua!
E o marido responde de imediato:
- Não quero o rabo! Não quero o rabo!

Oitava História
Dois amigos combinam que quem morrer primeiro deve voltar e dizer como é depois da morte.
O primeiro amigo é um pecador nato e o segundo é bem carola e temeroso de ir para o inferno.
Então, num certo dia o pecador morre e seu espírito retorna para contar ao carola como é depois da morte conforme o combinado.
Antes pede orações por seus pecados e fala que pecado por atos sexuais não conta como transgressão. Então o amigo temente corre para a casa da sua comadre e pulando em sua cama grita: - Sexo não é pecado! Sexo não é pecado!

Nona e ultima história
Entrelaçado na outras histórias tem o relato de um famoso pintor convidado para pintar uma igreja em uma pequena cidade.
Para poder pintar esta igreja o pintor leva muito tempo e só pinta quando está inspirado, muitas vezes interrompe o almoço ou durante a noite corre para o andaime para pintar.
Mas finalmente termina sua obra e conclui que o sonho de uma obra é melhor do que a obra concluída.

Comentários
Primeiro capítulo de Trilogia da Vida, de Pasolini, o filme “The Decameron” é baseado em nove contos do livro homônimo de Giovanni Boccaccio (1313-1375), em que imperam os valores do corpo e da vitalidade sexual. Em cinco dos nove episódios, predominam o erotismo e a licenciosidade. A obra destaca a alegria de viver que existia em Boccaccio, proveniente de seu otimismo histórico, quando naquele momento explodia a revolução burguesa, marcando uma nova era. Devemos levar em conta que este livro foi escrito em plena Peste Negra que destruiu mais de trinta por cento da população européia. Foi uma época em que as pessoas estavam desiludidas com a Igreja e com a religião por ver tantas mortes e não entender o por que disso tudo. Por isso que no livro de Bocaccio, a religião é mostrada em tom satírico e os religiosos são apresentados como pessoas normais, pois provavelmente nessa época em que o livro foi escrito depois da peste até os religiosos perderam parte de sua fé.
                                                              

Um comentário:

videos

Loading...

Minha lista de blogs